Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Comportada e sem pose de rock star

Divulgação
Avril Lavigne no Pacaembu: loura e de cabelo crespo, a cantora canadense deixou a rebeldia de lado no último show de sua turnê no Brasil
Por Marcos Paulo Bin
29/09/2005

Segundo a estimativa da polícia militar, 40 mil pessoas enfrentaram o domingo de frio e chuva para ver a roqueira Avril Lavigne no estádio do Pacaembu, em São Paulo, no dia 25 de setembro. A maior parte do público era composta de crianças (algumas muito pequenas) e adolescentes acompanhados dos pais.

A abertura foi da banda carioca Leela. O grupo da cantora Bianca Jhordão mostrou-se forte no palco, com atitude, e tocou bem, mas parecia estar mais preocupado em captar as imagens de um público que não era o seu para a gravação de um videoclipe.

Pena que os quatro câmeras ficaram perambulando pelo palco durante a apresentação para registrar as poses, caras e bocas da vocalista, atrapalhando a visão. O Leela tocou músicas do novo CD, Ver o Que Faço, incluindo a mais conhecida, Te Procuro, tema da novela “Malhação”. Bianca Jhordão e cia. também fizeram um cover do Nirvana, Rape Me.

Avril Lavigne estava tão ansiosa para fazer o último show de sua turnê no Brasil que entrou dez minutos antes do horário previsto. A primeira música, Sk8er Boy, botou toda a garotada para pular, cantar e gritar.

A cantora canadense não precisou provar nada para ninguém. Comportada, sem fazer pose de rock star, cantou, tocou guitarra nas canções Happy Ending e Don't Tell Me e piano na balada Together e no hit Forgotten.

Ela não trocou de roupa durante o show, o que eliminou a possibilidade de querer se mostrar artista demais. Cuspiu uma vez no chão, mas virou para trás para não querer ser “pressão”. Surpreendendo os fãs de carteirinha, que estavam de chapinha e lápis nos olhos, Avril entrou no palco loiríssima, com o cabelo rebelde e crespo e camiseta do lado avesso.

Um ponto alto do show foi quando a bonitinha tocou violão sozinha no palco na canção Nobody's Home. Foi bacana; o estádio inteiro cantou e berrou muito e deu pra notar o verdadeiro talento de Avril Lavigne, que ainda tocou bateria em Song #2, do Blur.

Avril encerrou o show com a música que a fez ser essa estrela toda: Complicated. Era o fim de uma apresentação que durou pouco mais de uma hora e da turnê do álbum Under My Skin, lançado em 2004. Avril agora descansa para compor e produzir o novo álbum, previsto para chegar ao Brasil para 2006.

Na sua passagem pelo país, antes de São Paulo, Avril fez shows em Porto Alegre, no Gigantinho; em Curitiba, na Pedreira Paulo Leminski; e no Rio de Janeiro, na Praça da Apoteose.


 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções