Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Experiência e projeção para os independentes

Divulgação
A banda paulista Astoria é um dos nomes confirmados no CD Músicas Bacanas para Pessoas Descoladas. O selo F Records está recebendo inscrições de bandas interessadas em participar

Por Marcos Paulo Bin
31/07/2005


O selo paulista F Records abriu vagas para bandas independentes participarem da coletânea Músicas Bacanas para Pessoas Descoladas Vol. 3, que reúne roqueiros nacionais e internacionais, principalmente das linhas punk e hardcore. As inscrições vão até 22 de agosto, pelo e-mail musicas.bacanas@gmail.com. A F Records entrará em contato com os candidatos, dando mais detalhes sobre a participação no CD.

Produtor e proprietário da F Records, Francesco Coppola define Músicas Bacanas para Pessoas Descoladas como um espaço aberto para as bandas novas. Segundo Francesco, a coletânea é uma boa oportunidade para adquirir experiência e projeção.

“Muitas bandas ainda não possuem uma boa divulgação nem tiveram a oportunidade de dividir um CD com outras de mais renome, até mesmo internacionais. Esta é uma compilação de hardcore e punk, mas bandas de outros estilos são bem-vindas, pois a divulgação abrange veículos de rock em geral”, diz Francesco.

Depois de uma edição dupla, em 2004, Músicas Bacanas para Pessoas Descoladas volta ao formato simples. Já estão fechadas as participações dos brasileiros KiLLi, Astoria (ex-Arsenal), Tuneful Chaos, Agrotóxico, Periferia S/A, Gloria, Shileper High, Worms e Switchstance. O time de estrangeiros inclui Bambix, da Holanda; Fabulous Disaster e Toxic Narcotic, dos Estados Unidos; e The Gee Strings e Rast Knast, da Alemanha. Apesar de tanta gente para pouco tempo de disco, ainda restam vagas.

“Espero colocar entre 25 e 32 bandas no CD, mas vai depender do tempo de cada música. A intenção é preencher os 74 minutos do disco”, explica Francesco, lembrando que, devido à grande procura, alguns critérios devem ser observados. “Peço para que as bandas participem com uma faixa que tenha boa qualidade de gravação, pois dezenas de CDs promocionais serão enviados a sites, revistas etc. para divulgação. Outra coisa que levo em consideração é o conteúdo lírico da música. Acho que não existe mais espaço para bandas que tentam ser ofensivas, machistas e tal.”

Divulgação como diferencial

As duas primeiras edições de Música Bacanas para Pessoas Descoladas foram lançadas em 2003 e 2004. Francesco lembra que o cuidado com a produção do material – o encarte traz as letras de todas as músicas e informações sobre os participantes – e a divulgação na mídia trouxeram resultados além dos esperados, tanto para o selo quanto para os artistas.

“Os dois CDs ajudaram a projetar diversos nomes desconhecidos dentro da cena independente. As bandas Tuneful Chaos e Astoria tiveram uma repercussão tão positiva no projeto que acabaram fechando trabalhos com a F Records. Certamente isso vai acontecer de novo agora”, garante Francesco.

O terceiro volume de Músicas Bacanas para Pessoas Descoladas está previsto para dezembro. A coletânea é feita em forma de cooperativa; as bandas contribuem com um valor e, em troca, recebem divulgação e uma determinada quantidade de discos. É um formato que vem crescendo bastante no mercado e, por isso mesmo, fazendo com que muita banda compre gato por lebre.

“É preciso ficar de olho bem aberto com as propostas que aparecem por aí. Depois que o cenário independente começou a chamar mais a atenção por causa de bandas como CPM22, Dead Fish e outras que saíram para a grande mídia, oportunistas, ‘empresários do rock’ e outras figuras infestaram de forma negativa a nossa cena”, alerta Francesco, apontando a produção e o marketing feitos na série Músicas Bacanas para Pessoas Descoladas como diferenciais da F Records. “Os CDs têm as letras de todas as músicas, algo raro neste tipo de coletânea, que geralmente só traz informações sobre as bandas. Além disso, quando o disco é lançado, fazemos um trabalho de divulgação abrangente, de norte a sul do país, em diversos sites, revistas, rádios etc. Se você fizer uma procura em sites de busca, certamente vai achar comentários sobre os dois volume anteriores.”


Veja mais:


  Selo tem títulos nacionais e internacionais

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções