Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Matanza revive Johnny Cash e apresenta o DualDisc

Divulgação
O grupo Matanza homenageou seu maior ídolo, Johnny Cash, gravando CD e DVD somente com composições dele. “Se não houvesse Johnny Cash não haveria Matanza”, diz o vocalista Jimmy

Por Jailson Roque
19/06/2005


Quando estrearam em 2001, com o disco Santa Madre Cassino, os cariocas do Matanza já deram indicações de que dariam o que falar e que vinham para ficar. Inventores do estilo countrycore, ou seja, o country americano com hardcore, a banda formada por Jimmy (vocal), Donida (guitarra), China (baixo) e Fausto (bateria) fez um grande sucesso no underground do Rio de Janeiro.

Chegando ao seu terceiro álbum, To Hell with Johnny Cash (Deckdisc), um dualdisc – disco de dupla face que de um lado toca o CD, com as músicas, e do outro um DVD, com um documentário sobre o quarteto – eles agora querem mais. É a primeira vez que um artista brasileiro se utiliza de tal tecnologia.

To Hell with Johnny Cash
é uma bela homenagem ao cultuado rei da country music e revela um Matanza bem à vontade com as regravações que fizeram Cash tornar-se um ídolo no gênero.

“Nós queríamos mostrar para o público a influência que sofremos de Johnny Cash. Se não houvesse Johnny Cash não haveria Matanza”, define o vocalista Jimmy, que está com o pé quebrado, após ter se acidentado em uma partida do Rock Gol da MTV.

DualDisc deveria ter saído em vinil

Para Jimmy, o CD foi gravado com prazer por todos os integrantes, uma vez que era pura diversão tocar as músicas.

“O grande problema que tivemos foi separar o repertório, pois nós queríamos que só entrassem músicas antigas, escritas pelo próprio Johnny e que não precisassem sofrer alterações em seus tons e arranjos”, explica o vocalista.

Músicas como Cry, Cry, Cry são contagiantes e muito bem temperadas pela agressividade liberada no trabalho. Outras, como as puramente “cashinianas” My Treasure e Straight A’s in Love, mostram que o Matanza realmente se sentiu muito à vontade em tocar Johnny Cash.

“As músicas são muito f...! Podemos dizer isso por que nenhuma delas é nossa”, empolga-se Jimmy.

Algumas curiosidades interessantes cercam a história de To Hell with Johnny Cash. Uma delas é o fato de que o repertório escolhido e gravado deveria, inicialmente, se transformar em três singles de vinil com quatro músicas cada.

Com relação à filosofia de grossura e sutileza zero pregada pela banda e rebocada pelo slogan “Pé na Porta e Soco na Cara”, Jimmy explica que isso é bem compreendido pelos jornalistas, mas que as rádios geralmente deixam de tocar o som do Matanza pensando que as pessoas vão ouvir e vão brigar.

“Isso é ignorância. As pessoas não sabem do que se trata e ficam assim, achando que nós somos um bando de pit boys”, reclama o vocalista.

Para quem já está ansioso para conferir o novo trabalho da banda, uma má noticia: devido a um acidente automobilístico, o baixista China não pode se apresentar. Com isso, o grupo só deve começar a fazer shows a partir de julho. Também foi adiada a gravação do DVD MTV Apresenta, que aconteceria em maio, no Hangar 110, em São Paulo.


Veja mais:


   Disco:  To Hell with Johnny Cash
     Ficha técnica, faixas e compositores

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções