Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Homenagens a Jobim e Gershwin

Divulgação
Pedra Bonita, um dos discos resgatados agora pela Biscoito Fino, foi lançado por Mário Adnet em 1994, um mês depois da morte de Tom Jobim

Por Dani Janes
26/02/2005


Mario Adnet é compositor, cantor, violonista, arranjador e produtor requisitado por grandes nomes da MPB. Dois álbuns importantes de sua carreira, lançados na década de 90 para o mercado externo, são relançados agora pela Biscoito Fino. Boa oportunidade para os brasileiros conhecerem melhor um dos músicos mais criativos e talentosos do país.

Pedra Bonita
– lançado originalmente em 1994 pela BMG japonesa – conta com a participação de Tom Jobim, influência máxima de Mario Adnet, tocando piano em Maracangalha, clássico de Dorival Caymmi. O arranjo, bem diferente do samba original, foi criado por Mario em 1990 e apresentado a Jobim em Nova York pela irmã do autor, Maúcha Adnet. O Maestro Soberano encantou-se tanto pela versão que a incorporou a seu repertório.

“Ele acabou gravando o arranjo, com algumas modificações, também em seu último trabalho, Antonio Brasileiro. Tom vivia me cobrando: cadê o disco? Acabei entregando um exemplar para ele pouco antes de sua última viagem para Nova York”, conta Mario Adnet, em texto de divulgação. Pedra Bonita foi lançado numa turnê do músico pelo Japão um mês depois da morte de Tom.

O disco traz ainda as participações de Maúcha (Desafinada), Joyce (Vocês Querem Ouvir Jazz?), Ivan Lins (Pálida) e o inusitado Lobão arriscando um sambinha (Geraldofla). As canções instrumentais são um diferencial de Pedra Bonita. Entre elas, Enviesado, Macunaíma Suíte e Trote da Raposa, compostas por Mario, num mergulho no universo da bossa sempre nova.

Fechando o CD com chave de ouro, a marchinha Canção pra Inglês Ver, de Lamartine Babo. Melhor impossível.

Para Gershwin e Jobim

O segundo álbum, Para Gershwin e Jobim, é uma homenagem de Mario Adnet a dois grandes nomes da música: o brasileiro Tom Jobim e o americano George Gershwin. Segundo Mario, eles se assemelham pela forma com que revolucionaram a música popular de seus países e pelo caráter atemporal de suas obras.

No CD, lançado pela primeira vez em 1999, Mario Adnet mescla composições de sua autoria com versões cheias de requinte para as canções Tico-Tico no Fubá (Zequinha de Abreu), I Got Rhythm e Love Is Here to Stay (George e Ira Gershwin), além do clássico Desafinado (Tom Jobim e Newton Mendonça), hino da bossa nova.

O caráter binacional do CD é mantido na ficha técnica. O álbum reúne músicos de Brasil e Estados Unidos, como os brasileiros Tutty Moreno (bateria) e Zeca Assumpção (baixo acústico) e os americanos Jay Ashby (trombone) e Billy Drewes (sax soprano). Maúcha e Joana Adnet, filha de Mario, fazem participações vocais.

São dois belos discos, resgatados de forma bastante apropriada pela Biscoito Fino.

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções