Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Jorge Aragão perde a batalha contra a pirataria e lança CD Ao Vivo 3

Arquivo U.M.
Alegando a concorrência da pirataria, a Indie Records está lançando o CD Ao Vivo 3. É o quarto disco de Aragão nesse formato em apenas seis anos

Por Marcos Paulo Bin
16/11/2004

Perdeu, Aragão, perdeu. Em julho, no camarim do Canecão, logo após gravar o DVD Da Noite pro Dia – que era para ser apenas um registro em vídeo do CD homônimo – o Poeta do Samba disse, com exclusividade ao U.M., que não queria que aquele trabalho virasse um CD ao vivo. Uma preocupação natural, já que ele, em 25 anos de carreira, nunca havia gravado um disco assim até 1999. Em compensação, depois disso foram mais dois em apenas três anos, o que lhe rendeu várias críticas por parte da imprensa.

“Até agora eles (a gravadora Indie Records) não fizeram essa proposta (transformar o DVD em CD ao vivo), mas acredito que ficariam reticentes em fazer”, apostou Jorge Aragão, naquele show, afirmando ainda que realmente era mais fácil, comercialmente falando, lançar outro CD ao vivo, mas que isso não condizia com sua carreira. “Se meus discos de estúdio hoje são melhores ou piores que os de outras épocas, eu não sei. Mas quero continuar divulgando Da Noite pro Dia, compondo e levando minha vida. Já tenho planejado o que pretendo para os próximos anos.”

É, mas as coisas não saíram conforme ele planejava. Daqui a pouco tempo, Aragão não divulgará mais Da Noite pro Dia, e possivelmente terá que refazer seus planos para o futuro. Já está disponível em lojas virtuais – e no fim do mês nas convencionais – Ao Vivo 3, CD baseado no DVD que chegou às lojas em meados de outubro. A alegação da gravadora é que os “piratas” estão transformando o DVD em CDs, e sem um produto original a empresa não tem como concorrer com o mercado ilegal.

A atitude da Indie é plausível, mas não deixa de ser lamentável. Em primeiro lugar, para o próprio Aragão, que sempre privilegiou seu lado compositor e agora – depois do sucesso que fez com os CDs Ao Vivo 1, Ao Vivo 2 e Ao Vivo Convida – se vê forçado a repetir os esquemas viciados que a indústria alimenta. E, em segundo, para o próprio mercado, que desde 2003 vive uma enxurrada de discos ao vivo como nunca se viu.

As principais gravadoras são as que mais apostam nesses discos de releituras e regravações. A Universal, no final do ano passado, lançou o Acústico MTV de Zeca Pagodinho. Um belo disco, mas uma forçada de barra tremenda, já que o samba é um gênero acústico por natureza. A BMG seguiu com Dudu Nobre; a Sony, com Vavá; a EMI, com Waguinho; e a Warner, com os Travessos. A própria Indie começou 2004 com o Ao Vivo Convida do Fundo de Quintal, e vai terminar o ano lançando um CD/DVD parecido de Beth Carvalho.

No momento, a criatividade está nas gravadoras de menor porte, como a Biscoito Fino e seu selo Quelé, dedicado só ao samba – que este ano revelou o talento dos Dois Bicudos e lançou um CD magnífico de Wilson das Neves – a Carioca Discos e a Rob Digital, que bancaram discos de inéditas dos bambas Monarco e Luiz Carlos da Vila, respectivamente. A postura da multies e das médias prejudica compositores, que não têm espaço para mostrar suas músicas; o artista, que não renova seu repertório; e o público, que fica num eterno revival. Discos ao vivo são legais, mas como tudo na vida, há um limite.

Clima de barzinho

Jorge Aragão já está na segunda geração do DVD musical. Ou seja, não precisa mais lançar um disco em que “apresente” (como se fosse necessário) sua obra ao público, como fizeram, em 2004, estreantes no formato como o Fundo de Quintal e o Roupa Nova. Por isso, o Poeta do Samba, em Da Noite pro Dia, não teve de se prender aos sucessos, podendo explorar mais seu lado de compositor e intérprete.

Mesmo assim, há várias repetições em relação ao discos ao vivo anteriores, como Identidade, Loucuras de Uma Paixão, Ponta de Dor (todas de Ao Vivo 1), Logo Agora, Reflexão e Resto de Esperança (de Ao Vivo 2). Em relação ao DVD Ao Vivo Convida, apenas uma faixa se repete, o clássico Do Fundo do Nosso Quintal.

Mas também há espaço para novidades. O momento mais interessante do DVD é na seqüência em que Aragão relembra o início da carreira, e que tem um clima de barzinho. Ao violão, ele rege a banda em O Negócio É Amar (Carlos Lyra e Dolores Duran), Logo Agora, Você Abusou (hit de Antônio Carlos & Jocafi que Aragão gravara no CD Todas, de 2001) e Na Rua, na Chuva, na Fazenda (Hyldon).

“Sempre me permito cantar qualquer coisa. Para mim tudo acaba em samba”, comenta o sambista, no disco.

Ainda no campo das releituras, outros destaques são Estrela de Madureira, famosa com Roberto Ribeiro, ídolo de Aragão, e Conselho, hino do samba na voz de Almir Guineto. A faceta estritamente de compositor aparece em Novos Tempos, música que deu nome ao último CD de estúdio do Grupo Revelação, e em De Sampa A São Luis, gravada pelo Grupo Molejo.

Do CD Da Noite pro Dia, que seria a base do DVD, acabaram ficando apenas quatro das 22 faixas: Vendi Meu Peixe, o primeiro sucesso, que foi tema da novela “Celebridade”; Amor À Primeira Vista, atual música de trabalho; Sede e O Iraque É Aqui. Algumas músicas cantadas no show foram excluídas, como Um Dom de Deus. Todas essa canções mais recentes estão em Ao Vivo 3, que tem 16 faixas.


Veja mais:


  Extra do DVD deixa a desejar


Matérias relacionadas:

  Exclusivo: Jorge Aragão fala de seu 2º DVD e diz que não quer outro CD ao vivo
  Samba, funk, rap, forró e bossa nova no novo CD de Jorge Aragão
  Jorge Aragão reúne convidados em seu primeiro DVD


Resenhas relacionadas:

  Ao Vivo Volume 3

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções