Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Brasil vai mal no Grammy Latino e perde o produtor Tom Capone

www.elnet.com.br
Aline Barros surpreendeu ao vencer o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa, por Fruto de Amor, disco que gravou com sérios problemas nas cordas vocais

Por Marcos Paulo Bin
02/09/2004

Não foi um dia feliz para a música brasileira, sob vários aspectos. Além de receber apenas dois prêmios nas categorias gerais do Grammy Latino 2004, o Brasil perdeu um de seus maiores produtores. Tom Capone, também músico e diretor artístico da Warner Music, morreu em acidente de moto após o evento, realizado no dia 1º de setembro no Shrine Auditorium, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Capone vinha trabalhando no disco que marca a volta do Barão Vermelho após dois anos de ausência do vocalista Frejat, que se dedicava à carreira solo. Numa infeliz coincidência, ele morreu justamente naquele que talvez tivesse sido um dos dias mais felizes de sua vida. Mesmo sem ter levado nenhuma estatueta, ele podia se orgulhar de ser o brasileiro com maior número de indicações ao Grammy Latino de uma só vez, cinco no total. Uma delas era de Produtor do Ano, que perdeu para Javier Limón.

Mas Capone certamente saiu feliz do Shrine Auditorium. Produzido por ele, o primeiro CD de Maria Rita rendeu à filha de Elis Regina um dos únicos prêmios entregues a um brasileiro nas categorias gerais do Grammy, o de Revelação do Ano (o outro foi Melhor Álbum de Música Clássica, que foi dividido entre Jobim Sinfônico, da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, e Carmen Symphony, da Orquestra Sinfônica de Barcelona). Nas categorias específicas da música brasileira, Maria Rita ainda ganhou as estatuetas de Melhor Álbum de MPB e Música do Ano, por A Festa, de Milton Nascimento. Outra vitória indireta de Capone foi a do Skank, cujo último trabalho, Cosmotron, produzido por ele, foi eleito o Melhor Álbum de Rock Brasileiro.

Tom Capone, de 37 anos, deixa viúva, a cantora e tecladista Constança Scofield, e um filho de um mês, Bento. Além de Maria Rita, Skank e Barão Vermelho, ele produziu discos de Marisa Monte, Lenine, Raimundos, Gilberto Gil e outros, muitos gravados no estúdio Toca do Bandido, que mantinha no Rio.

Aline Barros é a boa surpresa do evento

Para o Brasil, o Grammy Latino foi triste e decepcionante, mas também surpreendente. E a grande surpresa ficou por conta da música evangélica, tão discriminada por aqui, embora seja um mercado em plena expansão. Aline Barros ganhou o troféu de Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa por Fruto de Amor, desbancando o badalado Padre Marcelo Rossi, vencedor em 2002 com Paz – Ao Vivo.

O mais curioso é que Fruto de Amor – último trabalho de Aline, atualmente na MK Publicitá, pela gravadora AB Records, pertencente a seu pai – foi gravado quando a cantora vivia sérios problemas nas cordas vocais. Aline chegou a ficar com apenas 5% da voz, mas mesmo assim decidiu gravar o álbum.

“Deus falou comigo: ‘vai para o  estúdio e verás a minha obra’. E eu fui, com determinação. Depois disso, fiquei completamente curada”, disse a cantora, em entrevista recente ao UNIVERSO MUSICAL (clique aqui para ler a matéria).

Em entrevista à assessoria de imprensa da MK Publicitá, Aline afirmou que o prêmio marca um novo tempo de Deus para a vida dela e para a música evangélica brasileira.

“Esse prêmio é prova da fidelidade do Senhor para o Povo de Deus. Esse prêmio é para o povo brasileiro, é para a Igreja do Senhor no Brasil!”, disse Aline, eufórica.

A MK ainda participou do Grammy com o CD Discípulos Teus, da Igreja Batista Nova Jerusalém. A diretora artística da gravadora, Marina de Oliveira, também acredita que o prêmio ajudará a divulgar a música gospel no país.

“Vamos continuar trabalhando para fortalecer cada vez mais nossa música, a nossa marca no mercado internacional, e mostrar a força da música gospel brasileira, que ainda enfrenta preconceito”, disse Marina.

O grande vencedor do Grammy Latino 2004 foi o cantor espanhol Alejandro Sanz, que, graças ao disco No Es Lo Mismo, arrebatou cinco troféus: Álbum do Ano, Melhor Álbum Vocal Pop Masculino, Canção do Ano (a faixa-título), Gravação do Ano e Melhor Engenharia de Gravação. Com as sete estatuetas ganhas nas edições anteriores, Sanz consagra-se como o maior vencedor da curta história do Grammy Latino, que este ano chegou a sua quinta edição e teve como homenageado o guitarrista mexicano Carlos Santana.


Veja mais:


  Confira todos os vencedores do Grammy Latino 2004


Matérias relacionadas:

  Música evangélica brasileira recebe destaque no Grammy Latino 2005

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções