Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Livres de estigmas

Divulgação/Verônica Peixoto
Em seu novo CD, Cezar & Paulinho contam com quatro arranjadores, o que garantiu uma sonoridade bastante variada ao disco

Por Marcos Paulo Bin
17/08/2004

Quem mora no interior de São Paulo certamente ouviu até a exaustão, em 98, a frase “p.q.p., pisa no freio, Zé!”. Foi com esses versos, retirados da música Pé de Bode, do disco Você Marcou para Mim, que Cezar & Paulinho ficaram conhecidos nacionalmente. No entanto, o sucesso da música de certa forma estereotipou os irmãos piracicabanos, filhos de Craveiro, da dupla com Cravinho, que ficaram muito conhecidos pelo lado satírico, quando sempre investiram também no romantismo e na música sertaneja de raiz.

Ao estrear na Indie Records, com o disco Ninguém Vive sem Amor, Cezar & Paulinho – que estão completando 30 anos de carreira – têm a oportunidade de mostrar essas duas outras facetas. No CD, produzido por Manoel Nenzinho Pinto, os irmãos deixam completamente de lado seu sarcasmo. A única faixa, entre as 14, que tem uma lado cômico é Se Tiver Mulher Nóis Vai, em que eles dizem: “Nóis canta até de graça / Nóis faz o que puder / A gente só na canta / Em lugar que não tem mulher”. Tic Tic Nervoso, sucesso do grupo Magazine nos anos 80, até  possui um lado humorístico, mas está mais para uma música contestadora do que para satírica.

A principal marca do CD é o romantismo. E parece que os anos 80 são uma rica fonte de repertório para Cezar & Paulinho, que resgatam outras duas músicas bastante famosas na época. A canção que abre o disco é I Love You Baby, hit na voz de Adriana, que ganhou uma bela versão da dupla. Escolhida com primeira faixa de trabalho, a música já conquistou as rádios de todo o Brasil, atingindo a primeira colocação entre as mais tocadas em alguns estados.

Durante as gravações, o compositor Gilson, co-autor da música ao lado de Joran, foi visitar a dupla no estúdio, e aprovou a versão dos irmãos.

“Nunca tínhamos cantado essa música em dupla. Ficou diferente. Tanto que o Gilson ouviu e disse que aquilo era um sonho realizado. Foi uma visita que nos deu muita força”, diz Paulinho, no texto de divulgação do disco.

Outra da safra oitentista relembrada pela dupla é Alma Gêmea, de Peninha, famosa com Fábio Junior. Curiosamente, pouco antes de ganhar uma versão sertaneja, a música virou um pagode na voz de Vavá, que a gravou em seu recém-lançado CD Ao Vivo.

Ainda no estilo da moderna música sertaneja – que está mais para popular, romântica, do que propriamente sertaneja, no sentido original da palavra – tem Ninguém Vive sem Amor, Quando O Amor É pra Valer, Nas Asas de Um Beija-Flor e Cavalgada do Amor.

Cezar tem dificuldades para gravar samba

Mas o novo trabalho de Cezar & Paulinho não se resume ao romantismo. Ao contrário, embora o amor dê as cartas, o disco traz uma grande variedade de estilos. Um dos motivos para isso está na diversidade de arranjadores e regentes. São quatro: Paulinho Coelho, Pinóchio, Beto Paciello e Caixote.

O resultado é que até samba Ninguém Vive sem Amor tem. Arranjada por Pinóchio, Meu Coração Parou é um samba de Chico Amado e Luizinho SP, que participa da faixa tocando cavaquinho. Cezar, a voz principal da dupla, sentiu dificuldades para cantar a música, que foge completamente ao seu estilo, e até pensou em não gravá-la. Mas a ajuda de Daniel, que estava num estúdio ao lado, resolveu tudo.

“Ele deu a dica: canta sorrindo. Aquilo mudou tudo. A música saiu linda. Foi emocionante”, recorda-se o cantor, que, ao lado do irmão, ajudou muito o ex-parceiro de João Paulo no início da carreira dele. “Foi uma retribuição”, acredita.

Cezar & Paulinho dedicam o final do CD à moda de viola, estilo com o qual começaram a carreira. A 10ª faixa, Franguinho na Panela, de Moacyr dos Santos e Paraíso, é uma daquelas típicas músicas de fim de tarde na fazenda, e foi gravada anteriormente por Craveiro & Cravinho. A canção seguinte, Amargurando, é um clássico do sertão, composto por Tião Carreiro (com Dino Franco), também o primeiro a registrá-la. Posteriormente, inúmeros artistas sertanejos a regravaram, incluindo Roberta Miranda, talvez a autora da versão mais popular. Cezar & Paulinho fizeram questão de registrar a música, para divulgar seu verdadeiro autor.

“Vários artistas cantaram essa música. Todo mundo sabe a letra, mas ninguém lembra quem gravou. Nossa intenção é que o povo se lembre dela conosco, e que saiba que é uma obra de Tião Carreiro”, afirma Cezar.

A próxima música, Morena Ai, Ai, parceria de Cezar com Craveiro, começa uma seqüência de músicas animadas. Quem Não Dançar Vai Dançar (Waldyr Luz e Anízio Rocha) e Tô Indo Embora (Cezar) completam o repertório do disco.

Estreando na Indie Records, com a música I Love You Baby estourada nas rádios, Cezar & Paulinho mostram que, finalmente, podem curtir o sucesso livres de estigmas. E nada melhor do que chegar aos 30 anos de carreira conquistando o respeito do público e da crítica.


Veja mais:


   Disco:  Ninguém Vive sem Amor
     Ficha técnica, faixas e compositores

Resenhas relacionadas:

  Ninguém Vive sem Amor

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções