Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  O verdadeiro reconhecimento à boa música

O Troféu U.M. teve o design do artesão Kiko e o acabamento do artista plástico Paulo Lemos. Ele representa o verdadeiro reconhecimento ao trabalho do músico brasileiro, pois é concedido por quem conhece do assunto
Galeria de fotos

O UNIVERSO MUSICAL está entregando pessoalmente o Troféu U.M. aos melhores de 2003, nos gêneros MPB, Pop-rock, Popular, Samba/Pagode e Gospel. Até o dia 15 de junho, seis artistas – que representam quatro das 33 categorias nacionais contempladas – já haviam recebido o prêmio. Fique ligado no UNIVERSO MUSICAL: à medida que os demais forem recebendo o troféu, as fotos serão incorporadas à nossa galeria.

O UNIVERSO MUSICAL entrou no ar em novembro de 2002, e no início de 2003 o site já havia escolhido os principais destaques do ano anterior. No entanto, com o crescimento do U.M. – hoje o maior site especializado em música do país, o único a falar de todos os gêneros musicais – em 2004 decidiu-se realmente premiar aqueles que a equipe (o editor Marcos Paulo Bin, a repórter Leisa Ribeiro, o colaborador Felipe Resende e o webmaster Neilton Silva) consideraram os melhores de 2003.

A idéia de criar um troféu foi do grupo Catedral, que fez a sugestão ao saber que fora considerado o autor do melhor disco ao vivo de pop-rock do ano passado, com Acima do Nível do Mar. Passando pelas ruas do Centro do Rio de Janeiro, dirigindo-se para uma entrevista, o editor do site viu o artesão Kiko expondo bonecos feitos com arame e tubos de plástico. Quase todos remetiam a música – um representava uma bateria, outro um saxofone, outro uma guitarra e assim por diante. A criatividade e a singeleza de um boneco tocando guitarra chamou a atenção do jornalista, que viu ali um troféu em potencial.

“Aquilo tinha tudo a ver com a ver com o UNIVERSO MUSICAL, que um dia começou pequeno, de forma quase artesanal, e se transformou em algo muito grande”, diz Marcos.

Para transformar o “artesanal” boneco no “grande” troféu, o UNIVERSO MUSICAL contou com o brilhantismo do artista plástico Paulo Lemos, que teve a idéia de colocá-los num pedestal. Para isso, ele trabalhou pedaços de madeira, encaixou neles os bonecos e inseriu as placas metálicas.

Muitas novidades para 2005

A primeira artista a receber o Troféu U.M. foi Rita Lee, considerada pelo site como a intérprete da melhor música de 2003 de MPB, Amor E Sexo. A canção, por coincidência, é dela, com o marido Roberto de Carvalho e Arnaldo Jabor. Rita Lee recebeu o prêmio das mãos de Marcos Paulo Bin no camarim do Claro Hall, no Rio, após um show no dia 8 de maio. Ele foi o único jornalista que cobriu o show a ter acesso ao camarim.

“Tá vendo, Nelsinho, eu sou MPB!”, repetia Rita Lee para o compositor Nelson Motta, referindo-se ao fato de ser considerada pelo UNIVERSO MUSICAL uma artista do gênero, e não de pop-rock, como costuma ser rotulada. “Obrigada pelo troféu. Você não sabe como é difícil para a gente, que toca rock, ser considerada uma artista de MPB”, desabafou a cantora. Só uma pergunta esclarecedora: como enquadrar uma artista que compõe jóias do quilate de Mania de Você, Caso Sério e Amor E Sexo no limitado universo do pop-rock?

Uma semana depois, foi a vez dos evangélicos Jamily e J. Neto receberem o Troféu U.M. O local da entrega só comprovou o prestígio do site junto às gravadoras: o palco do programa “Gospel Line”, apresentado por Mara Maravilha e transmitido para todo o Brasil e para alguns outros p
Divulgação
A cantora Jamily recebe do jornalista Marcos Paulo Bin o prêmio de “Artista Gospel do Ano” no palco do programa “Gospel Line”, apresentado por Mara Maravilha
aíses, todos os sábados, pela Rede Record (que é do mesmo grupo da Line Records, gravadora dos dois). Como era uma gravação, a entrega foi feita para ambos no mesmo dia, mas os programas foram exibidos nos dias 29 de maio (o que teve a participação de Jamily, considerada a “Artista Gospel do Ano”) e 5 de junho (com J. Neto, autor do “Melhor Disco Ao Vivo Gospel”).

No dia 21 de maio, o UNIVERSO MUSICAL, cuja sede fica no Rio, foi a São Paulo especialmente para entregar os troféus de Dori, Nana e Danilo Caymmi, escolhidos como autores do “Melhor Disco de Coletânea/Tributo/Regravação de MPB” (Dori, por Contemporâneos) e “Melhor Show de MPB” (os três). A entrega foi destaque da coluna “Gente”, do “Jornal do Brasil”, que inclusive publicou uma foto.

O troféu foi entregue na Terra da Garoa porque os irmãos estavam no Tom Brasil Nações Unidas fazendo um show de seu recente disco, Para Dorival, 90 Anos, no qual cantam os sambas do nonagenário pai. Era uma oportunidade única para reunir o trio, já que Nana e Danilo moram no Rio, mas Dori vive em Los Angeles, nos Estados Unidos.

“Só venho ao Brasil para o show em São Paulo, depois não sei quando volto de novo”, disse Dori, no camarim do Canecão, no dia 30 de março, quando ele e os irmãos estrearam a turnê do disco, contando, inclusive, com a presença de Dorival.

A emoção que Dori demonstrou ao saber que ganharia o troféu, no Canecão, e depois ao recebê-lo, no Tom Brasil, não só comoveu a equipe do UNIVERSO MUSICAL, como foi bastante sintomática. Em primeiro lugar, ela mostrou que Tom Jobim não estava errado quando disse que a saída para o músico brasileiro estava no Aeroporto do Galeão. Cantor, violonista e arranjador de extrema e rara qualidade, Dori só encontrou espaço para sua música no exterior. E, pelo que disse no Canecão, parece que Brasil, mesmo, só a passeio, férias ou shows esporádicos.

Em segundo lugar, ficou evidente a importância de prêmios como o Troféu U.M., cujos vencedores, além de serem escolhidos por pessoas que conhecem e trabalham com música, são divididos pelo tipo de som que fazem. Com isso, são evitadas distorções e discrepâncias enormes como as que são verificadas, por exemplo, no Prêmio Multishow, que é decidido pelo público.

Será mesmo que o baixista Champignon, do Charlie Brown Jr., é melhor instrumentista que o violonista Yamandu Costa? Será que À Procura da Batida Perfeita, de Marcelo D2, foi realmente o melhor disco de música brasileira de 2003? Será que, há dois anos atrás, Sandy era melhor cantora que Marisa Monte? Fora o saco de gatos em que são colocados artistas completamente diferentes, o que será que prevalece nesse tipo de premiação: a qualidade do artista ou a mídia – leia-se investimento, grana da gravadora – que ele recebe?

Como o UNIVERSO MUSICAL não pára de crescer, contando hoje com mais de 200.000 leitores por mês, será inevitável uma cerimônia de entrega do Troféu U.M., em 2005, para os melhores de 2004. O local não está definido ainda, mas uma coisa já está decidida: a inclusão das categorias “Melhor Disco Instrumental de MPB”, “Melhor Disco de Coletânea/Regravação/Tributo Popular”, “Melhor CD de Rock Internacional”, “Melhor Produtor” e “Melhor Assessor de Imprensa”. Por mais humilde que seja qualquer pessoa, se o trabalho dela é bom, merece ser reconhecido, principalmente por quem sabe do que está falando.


Veja mais:








Matérias relacionadas:

  U.M. elege os Melhores de 2004
  Os melhores de 2003 segundo o U.M.

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções