Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Popular com todas as letras

Divulgação
Vander Lee não tem idéia de quantas músicas já compôs. O mineiro diz não ter uma fórmula para escrever. “Geralmente eu pego violão, papel, caneta e as coisas vão acontecendo naturalmente, sem pressão”, afirma ele
Por Leisa Ribeiro

Vander Lee é mineiro de Belo Horizonte, berço de grandes compositores. Com sua poesia sofisticada e ao mesmo tempo simples, ele se revelou mais um grande talento das Gerais. Suas melodias causam um impacto imediato aos ouvintes, principalmente nas mulheres; prova disso é que três gerações de cantoras já gravaram suas músicas. Entre elas, Gal Costa e Eliana Printes. Curiosamente, no mais novo CD de Vander Lee, Ao Vivo (Indie Records), a única participação especial é de Elza Soares, que nunca gravou músicas dele.
O CD – que foi gravado em julho do ano passado, em BH, e estourou a faixa Esperando Aviões nas rádios – revisita algumas das composições que vozes femininas tiveram o prazer de apresentar ao Brasil. Com a simpatia de um poeta apaixonado, que tocou e cantou em muitos bares, Vander Lee conversou com o UNIVERSO MUSICAL sobre os rumos que sua carreira tomou e os planos para o futuro.
E para quem quiser conferir de perto as aptidões do cantor, compositor e violonista, é só esperar até julho, quando ele faz o show de lançamento do CD Ao Vivo no Garden Hall, no Rio, e no Itaú Cultural, em São Paulo.

Quando você começou a compor e a cantar?

Eu comecei a compor em 1984, quando estava aprendendo a tocar violão. Antes disso tive vários empregos em outras áreas, mas não parei em nenhuma delas. Tinha que compor.

Como surgem suas composições?

Bem... Geralmente eu pego violão, papel, caneta e as coisas vão acontecendo naturalmente, sem pressão. Não tenho um jeito especial pra compor; o que eu faço é ficar com o espírito elevado durante esses momentos de concentração.

Você acha que os compositores mineiros são especiais?

Eu acho que Minas, principalmente Belo Horizonte, é um lugar extremamente inspirador, com um silêncio e uma luz naturais; com essas montanhas, o jeito de as pessoas se comunicarem. Essa coisa de economizar palavras que a gente costuma ter.

São quantas as canções feitas por você?

Não sei quantas músicas já compus, pois a maioria nunca foi gravada. Atualmente, cerca de 50 delas foram gravadas.

Como foi a passagem dos bares para a gravação de um CD?

Acho que a parte econômica é a mais complicada de ser superada, já que um compositor-artista demora muito a começar a ganhar dinheiro com a própria obra. Depois disso tem também a história de mudar o estigma de cantor de bar para artista autoral, e isso leva algum tempo até que os vícios sejam esquecidos.

O que significou o Prêmio Visa pra você?

O reconhecimento do meu trabalho por críticos e músicos da maior relevância para a MPB. É como ser aceito pra jogar num time de craques.

Você se acha um artista popular?

Com todas as letras.

Como foi a gravação do CD? Cantar para o público mineiro é diferente do que para os outros?

Foram três dias em que a energia fluiu mais forte que nunca. As pessoas estavam ali dispostas a somar, e é muito gratificante fazer esse disco dentro de casa. Sempre vou tratar o público de Belo Horizonte com o maior carinho possível, já que trabalho nessa cidade há muitos anos, cresci e aprendi sobre música e vida com essas pessoas.

Por que você escolheu, para gravar, apenas as músicas que haviam sido interpretadas por mulheres?

Acho que, inconscientemente, eu queria ficar de bem com as mulheres da minha vida pessoal e profissional (risos). Acho que aquelas músicas estavam me dizendo muito naquele momento.

Por que você acha que as suas músicas agradam mais o público feminino?

Imagino que pela profundidade de algumas letras, ou porque eu realmente gosto das mulheres também.

Quando vai gravar um novo CD?

Pretendo viajar o Brasil esse ano. Tenho shows marcados em Portugal e Itália, e entro em estúdio no fim do ano pra gravar um CD de inéditas.



Clique aqui para ler a crítica do disco Vander Lee Ao Vivo


Veja mais:


   Disco:  Vander Lee Ao Vivo
     Ficha técnica, faixas e compositores

Matérias relacionadas:

  Vander Lee ainda mais romântico em Naquele Verbo Agora
  Vander Lee faz show no Rio e recebe Troféu U.M.


Resenhas relacionadas:

  Vander Lee Ao Vivo
 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções