Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  VMB anuncia Acústico MTV do Charlie Brown Jr. e consagra Marcelo D2

Arquivo U.M.
Marcelo D2 foi o principal vencedor da noite, levando três prêmios: “melhor videoclipe de rap”, “melhor direção” e “videoclipe do ano”
O Video Music Brasil (VMB), realizado na noite de 26 de agosto, no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo, é mais do que a maior premiação da música pop brasileira. Para a organizadora do prêmio, a MTV – atualmente indissociável com os principais vendedores de discos do país, principalmente na área da MPB-pop e do rock – é a principal vitrine de seus produtos. Afinal, em que programa a emissora poderia juntar tantos artistas (entre indicados e apresentadores) com discos lançados por ela: Marina Lima, Kid Abelha, Jota Quest, Daniela Mercury, Titãs, Skank, Capital Inicial, Pato Fu?
E não são só produtos novos e antigos. A MTV também aproveitou o VMB para divulgar seu próximo disco: o Acústico do Charlie Brown Jr. O anúncio foi feito por Paulo Miklos, vocalista dos Titãs, que fez o papel de diretor do clipe de Só por Uma Noite.
No palco, o grupo de Chorão mostrou que seu unplugged será diferente dos demais: nada de ficar sentado no banquinho e maneirar na voz. Nas três músicas que mostrou, entre elas uma versão para o hit Papo Reto, o vocalista pulou e berrou como de costume, misturou rap com rock e fez os tradicionais sons de DJ com a boca. Tudo regado ao tradicional som pesado da banda, que nem dava a impressão de que as guitarras tinham sido substituídas por violões. Pelo visto, a banda santista só vai aproveitar mesmo o nome e o formato do disco, já consagrado pelo público brasileiro, e pegar o vácuo deixado pelo fraco acústico de Marina Lima, o mais recente da série, lançado no início do ano.


D2 é o grande vencedor da noite

Mas a participação do Charlie Brown foi muito maior. Favorito do público, que o aclamava a cada prêmio que concorria, o grupo foi um dos principais vencedores da noite, levando dois prêmios pela música Só por Uma Noite, do disco Bocas Ordinárias: “melhor videoclipe de rock” e “melhor videoclipe segundo a audiência”, por coincidência o primeiro e o último do evento, respectivamente. Nos dois momentos, o quarteto teve ótimas sacadas. Quando levou o primeiro prêmio, Chorão deu um recado aos críticos, que parecia ter sido também para o Los Hermanos, presentes no Anhembi, que vêm os criticando em entrevistas, inclusive na que concederam ao Universo Musical.
“Esse prêmio é pra quem entende que a gente não pode agradar sempre. Queremos agradar a nós mesmos, o resto que se f...”, disse o vocalista, que no final, quando recebeu o prêmio dos jogadores do Santos (time de Chorão, natural da cidade) Robinho e Diego (ótimos apresentadores, por sinal), deu outra declaração direcionada aos críticos. “Deixamos de ser a bandinha da moda há muito tempo. Esse prêmio é fruto de muito trabalho.”

O Charlie Brown só não brilhou mais que Marcelo D2, o grande vencedor da noite. O vocalista do Planet Hemp ganhou três prêmios: “melhor videoclipe de rap”, “melhor direção” e “videoclipe do ano”, por Qual É, música de seu segundo CD solo, À Procura da Batida Perfeita. Prêmio justo para o cantor, já que o disco é realmente um dos melhores do ano no segmento, não só pela qualidade das letras e dos samplers, mas pela inovação de misturar rap com samba. Como Chorão, D2 chamou a atenção na hora de agradecer o último prêmio.
“Já é o terceiro, não sei nem mais o que dizer. Nunca ganhei p... nenhuma, quando ganho é tudo de uma vez”, disse o rapper, que protagonizou ainda um dos momentos mais emocionantes da noite. Ao receber seu primeiro troféu, o de “melhor videoclipe de rap”, D2 chamou ao palco os músicos que tocavam com Sabotage, rapper paulistano morto violentamente este ano e que disputou o prêmio com a música Respeito É pra Quem Tem. Foi apenas uma das homenagens ao rapper: Thaíde, Charlie Brown Jr. e João Gordo também falaram sobre Sabotage.
No restante, o VMB não guardou muitas surpresas. Os vencedores, quase sempre, foram óbvios. Alguns concorrentes eram barbadas, como Fernanda Porto e DJ Patife, vencedores de “melhor videoclipe de música eletrônica” por Sambassim; Detonautas Roque Clube, “artista/banda revelação” com Quando O Sol Se For; e o próprio D2, no prêmio de rap.
Dois deles, no entanto, foram destaques negativos: Gilberto Gil, escolhido como autor do “melhor clipe de MPB” por Three Little Birds, música totalmente em inglês (não há nem mesmo trechos em português) que ele incluiu em seu tributo a Bob Marley, Kaya N’Gan Daya; e Ratos de Porão, autores do “melhor clipe independente”, com Próximo Alvo. O mais correto, por motivos óbvios, era que a MTV não permitisse que seus VJs (no caso, João Gordo, vocalista da banda) participassem do prêmio.



Veja mais:


  Os altos e baixos da premiação
  Confira todos os indicados e vencedores do VMB 2003


Matérias relacionadas:

  Pitty é a campeã de indicações ao VMB 2005
  VMB 2004: glamour, alternativos e micos
 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções